???

quarta-feira, janeiro 10, 2007




Começaste por me procurar debaixo da roupa. Sabias que estaria muito molhada, pois os teus beijos tinham-me despertado o desejo. Sentia-me ansiosa pelo teu toque e tu não te fizeste rogado. Em simultâneo com um longo e molhado beijo, as nossas mãos incansáveis procuraram os sexo um do outro que reagia ao toque de ambos, latejando de tesão. Prolongamos o momento o máximo que conseguimos e tu, de pontaria afinada, fixando o meu olhar, com as bocas coladas e gotas de suor a escorrer pela nossa pele, concentraste-te no meu ponto G. Não é difícil encontrá-lo, pois não?
O meu corpo reagiu, bem como a minha boca que se soltou da tua, para um largo gemido de prazer. "Hmmmm.... Ah... Simmmmmm!!! Sim! Aí... Aí, meu Amor, não páres....", foi qualquer coisa assim que eu soltei entre risos e sussurros, até sentir os teus dedos serem apertados pela minha ratinha. O meu orgasmo estimulou-te mais ainda e o teu pénis parecia querer explodir nas minhas mãos que não pararam de o acariciar. Para cima... Para baixo... Com força.... Devagar... Espalhando o teu próprio líquido na glande e massajando com a polpa do meu polegar, fiz-te suspirar ao meu ouvido e ouvi-te dizer: “Amo-te, Nina… Amo-te tanto…”
Não retiraste a mão da minha fonte de prazer, mesmo sabendo que estava sensível após o auge. Espalhaste o meu mel por toda a pele envolvente e, disfarçadamente, foste molhando o meu rabinho que, após algumas investidas, começou a se mostrar mais receptivo aos teus avanços. Esta alternância deixou-me louca de tesão, mas tu não me penetraste ainda. Fizeste-me sofrer, ansiar por ti, desejar-te mais e mais… E um novo orgasmo meu surgiu de repente, enquanto me abraçavas e beijavas, rindo da minha atrapalhação, do meu abandono, do sublime prazer que testemunhaste.
Só quando viste o meu corpo parar de se contrair, o meu olhar voltar a fixar o teu, com as faces muito coradas e um sorriso imenso, é que me penetraste finalmente, devagar, sentindo cada pedaço de mim, fazendo-me sentir-te poderoso, dominador, meu. Meu Amor…
Fizemos amor com tesão, com muita vontade e com todo o tempo do mundo à nossa frente. Por cima de mim, sentindo todo o teu corpo ao longo do meu, amei-te mais do que nunca. Quando te cavalguei com fúria de paixão, vi como te rendias à minha vontade. Quando nos viramos de lado e levantaste a minha perna com a mão para apreciar melhor o vaivém do teu pénis entesado e brilhante, olhei-te e vi-te mais lindo que nunca. Terminamos contigo a prender-me suavemente os cabelos, de rabo empinado para ti. As tuas mãos, qual conchas protectoras a apertar-me suavemente as mamas que, inchadinhas de prazer, te davam o suporte necessário. E vieste-te portentosamente, como um vencedor que conquista o tão ansiado troféu. Mas fomos os dois que ganhamos. Muito.
Fizemos Amor.
Fodemos com Amor.
Amamo-nos.

8 comentários:

Filipe disse...

Um Bom ano Cheio de prazer! Ate da tesao só de ler!! Sejam Felizes!!!

Anónimo disse...

Felina,

Este texto de hoje está fenomenal e do ponto de vista literário tem uma qualidade quase video-mental-gráfica !!

Muitos parabéns :)))

Leoa, quando é que regressas?

Beijos

Asas ao Vento

GN disse...

É, realmente só de ler...dá aquela invejazinha saudável. Parece que estamos a presenciar a fusão dos dois.

Muito bom Felina
Felicidades!

Leoa disse...

Ui!... Hummm... Visualizei tudinho... Vocês são realmente fantásticos!
Beijos aos dois

Anónimo disse...

Viva o Amor!!!
E todas as suas manifestações, expressões, revelações, traduções...

Beijo eclipsado
Lua

Anónimo disse...

Felina,
Os teus textos estão cada vez melhor...
Estou toda molhadinha só de vos ler.
Beijos e Abraços, escolhe qual deles queres e dá o outro ao Felino... Hi hihi.
Fofinha

Anónimo disse...

O texto, a descrição, o prazer que transparece está simplesmente maravilhoso

Anónimo disse...

sei que o que encontrei é verdeiro eu sinto o mesmo...o desejo, o prazer, por vezes penso que sou diferente, mas adoro amar..iolanda