???

domingo, junho 11, 2006

Saindo da casa de banho, arrumadinha para me deitar ao lado dele, até estremeci ao vê-lo deitado na nossa cama, só com as boxers justinhas vestidas...

Não me deitei.

Olhei-o e perguntei-lhe:

- “Qual queres usar hoje?” (Estava a falar dos preservativos, porque, devido ao que aconteceu e segundo conselho médico, nestes primeiros tempos, convém utilizá-los e nós fazêmo-lo sem problemas, pois, em vez de ser um empecilho, ainda conseguimos divertir-nos com isso!!!)

Marota como sou sempre, sob o olhar embasbacado dele, com os dedos dos pés (!) abri a gavetinha e procurei um preservativo sensitive, consegui segurá-lo com os dedos e coloquei-o ao lado dele. Peguei na caixa fechada, com os outros (sem látex), fiz uma ginástica incrível para a abrir com os dedos, conseguindo-o, e coloquei-o ao lado do outro, enquanto o felino me olhava, rindo-se.... Ainda mais maroto que eu, enrolo-se, de lado na cama, quando eu saltei por cima dele e, sem usar as mãos, lhe procurei o pau lindo e palpitante, que prendi na minha boca e chupei, lambi, apertei nos meus lábios, suguei e senti a tornar-se poderoso só para mim.

Enquanto ele, rendido, se voltou para pegar um dos preservativos, eu saltei rapidamente da cama tirando um acessório há muito comprado e que nunca tinha sido utilizado: uma venda, negra e sedosa, para os olhos. Dele!

Surpreendeu-me a falta de surpresa dele, o que me deixou ainda mais excitada, vendo-o alinhar na perfeição, quando o vendei. Deixou-se controlar por mim, ficando à minha mercê...

De braços levantados e de cabeça bem apoiada na almofada, deslizei o meu corpo nu pelo dele, sem o deixar tocar-me (faltaram as algemas, eu sei... mas ficam para a próxima... já estão à espera na tal gaveta...) e parava com as minhas mamas em cima da sua boca, que, ao sentir-lhes o calor, se abria dando-lhes um tratamento de luxo, lambendo-as, sugando-lhes os bicos excitados e sedentos daquela língua...

Sem o deixar baixar os braços, beijei-lhe o peito suavemente, os braços, as mãos, a barriga, as pernas, os pés, só me dirigindo ao mastro imponente por último, concentrando-me nele, gulosa, com dedicação e amor... Com eu gosto de o sentir a palpitar na boca, de ver a glande pulsar, vermelha, enquanto o manipulo com a mão e o chupo devagar e com força, para o estimular ao máximo... Ele estendeu-me o preservativo que segurava na mão e eu, com a boca, fi-lo deslizar suave e firmemente, pela extensão do seu lindo e delicioso pau. Com a venda nos olhos, ele não me podia ver, não sabia qual o meu próximo passo, pelo que disfrutei disso ao máximo e tentei dar-lhe muito prazer, com as mãos e a boca...

Quando o senti em ponto de rebuçado, coloquei-me em posição de amazona em cima dele, sem o tocar, e só então encaixei nele devagar até o sentir a preencher-me por completo... que calor! Que tesão me invadiu nesse momento!!! Vim-me pouco depois, numa explosão deliciosa, que me fez ficar mais louca ainda... parecia possessa, acreditem!!! Cavalguei-o um pouco mais com força e amor, enquanto as nossas bocas, coladas, se devoravam uma à outra de luxúria e prazer... Se isto é pecado, ahhhhh... como é bom pecar!

Agarrando-me pelas nádegas ele virou-me e, já sem a venda, ele possuiu-me fortemente, num vaivém delicioso, que arrasou mais uma vez, enquanto ele fixava o meu rosto e a minha expressão com um sorriso maravilhoso, de Felino safado... Ele sabe que me deixa rendida de prazer, e eu adoro que ele use esse poder!!!

Beijando-me com força e paixão, continuou a entrar e sair de mim, inundando-me de prazer, a roçar no meu clitóris inchado de tesão, e senti-o contorcer-se até explodir dentro de mim. Ao sentir aquele calor, a fúria do orgasmo dele, vim-me também inesperadamente, arrasada e deliciada.

Estávamos colados uma ao outro, pelo calor da noite e pelo suor que nos escorria pela pele nua. Caímos um para cada lado, enquanto lhe retirei suavemente o preservativo cheio e o arrumei convenientemente. Esqueci-me completamente que ainda estava com alguma hemorragia que, embora suave ainda lá estava.

A nossa cama, na manhã seguinte, testemunhou a loucura vivida de noite e, quando fui mudar os lençóis, vi uma marca absolutamente fantástica neles: a minha mão direita, aberta, marcada a sangue, relembrando-me a noite fantástica que tivemos. Quando mostrei ao Felino ele não conteve um belo sorriso. Sem comentários!

Somos bons a contornar as contrariedades da vida, não somos?

10 comentários:

Cavaleiro disse...

Está giro o conto :P

Penetrador disse...

São execelentes...diria eu :).

http://shakermaker.blogs.sapo.pt disse...

Ora viva Cara Felina...

Gostei, até porque, meteu sangue e tudo. Só faltou mesmo arrancarem olhos, fica para a próxima, digo eu.

Um abraço...
SHAKERMAKER

mixtu disse...

bom.. excelente...
besitos

roseggata disse...

ola minha amiga...a vida e dura mas tendo ao nosso lado o homem que nos ama as dores passarão e as feridas serão pequenas cicatrizes...
beijosss...

Gerentes disse...

Vendas??? Algemas??? Huummm... isto promete!
Beijos
Ana e Jorge

Luna disse...

são pois!

Anónimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

crazybysex disse...

Se tudo o que contas é verdade o teu HOMEM deve ser o rapaz mais feliz do mundo... Tanto sexo.. Uiiii

Jorge disse...

Lindo adorei o conto o meu sonho era encontrar uma mulher assim como tu....conheces alguem....?