???

quarta-feira, setembro 27, 2006

Reencontro

Fui buscar o Felino ao aeroporto com os nossos pequeninos que já não conseguiam calar a saudade do pai, vendo-o em cada homem jovem que saía da porta das chegadas… E eu tentava controlar-lhes a ansiedade, anunciando-lhes que ele ali chegaria poucos minutos depois, muito em breve.

Mal foi anunciada a chegada do avião, desatamos os três numa correria desenfreada até ao andar de cima, chegando ainda a tempo de ver o avião da Lufthansa a chegar. As crianças adoraram ver a aeronave e o meu coração acalmou um pouco ao confirmar a aterragem, pois sabia que faltavam poucos minutos para abraçar o meu amor.

Voltamos para a porta das chegadas e esperamos (im) pacientemente que ele surgisse. E ei-lo que chegou sorridente, correndo para nós, beijando-me mesmo ali, sem sequer contornar a barreira, enquanto acariciava as crianças que o abraçaram intensamente.

Finalmente juntos, os nossos corações palpitavam, os miúdos estavam eufóricos e eu muito feliz por ter a minha família reunida, de caminho a casa.

Mal o senti colado a mim, inspirei-lhe o cheiro da pele, beijando-lhe o pescoço e a mão dele fugiu para o meu rabo, apalpando-me, sem dar muito nas vistas, enquanto nos dirigíamos para o parque de estacionamento.

Nem seria necessário dizer que as crianças adormeceram mal o carro começou a andar e os nosso olhares tornaram-se mais cúmplices e os sorrisos indisfarçáveis, de tanto desejo que nos assolava. O certo é que as nossas mãos não pararam um instante, ao longo do curto percurso até nossa casa, sentindo e acariciando cada pedacinho do outro, com ousadia, com a ousadia de quem se ama.

Depois de arrumarmos as malas, deitarmos os pequenotes com um belo biberão que beberam a dormir, recolhemo-nos ao nosso quarto para nos dedicarmos integralmente um ao outro.

Aquele abraço de cumplicidade com o qual nos fundimos por largos minutos, foi o mote para um despertar intenso dos sentidos que se vinha a desenrolar desde a chegada dele.

Despimo-nos carinhosa e lentamente, sem pressas, com o carinho que quem esperou muito mas cuja espera valeu a pena, beijando cada pedaço de pele revelada sob o toque suave das mãos do outro. As nossas bocas uniram-se num beijo profundo e demorado, tendo-se as nossas línguas entrelaçado docemente, arrepiando-me de prazer… Sentia-me ficar molhada com a expectativa do culminar, mas prolongar esse momento foi delicioso.

Pegou-me no colo e encaminhou-se para a nossa cama, preparada para nos receber. Aí cobriu-me o corpo de beijos, detendo-se no meu pescoço que sabe ser tão sensível e na boca gulosa que o devorava, a cada passagem sua.

Concentrou-se nas minha maminhas, segurando-as com as mãos, beijando-as alternadamente, sugando-lhes os biquinhos que se eriçavam a cada lambidela e se empinavam a cada chupadela. Sentia-me flutuar no mar de prazer e mal conseguia acreditar que era real a sua presença ali comigo. Vieram-me as lágrimas aos olhos de felicidade e deixei-me levar pelas carícias dele, sentindo como deslizava por mim abaixo, ao encontro da minha ratinha faminta.

Beijou-me as coxas com carinho, passeou as mão pelas minhas pernas e pés, acariciando-me a pele e fazendo-me contorcer de prazer, sobretudo quando senti os seus lábios tocarem os meus, os de baixo, molhadinhos de tesão… Lambeu-me com perícia, não esquecendo nada de mim, absorvendo o sabor da minha rata e trazendo-o à minha boca, para o partilharmos. Vi que ele não desistiria até me fazer vir na sua boca, pois a língua felina penetrou-me até sentir como me contraía de prazer, transformando o meu gemido em grito, que fui incapaz de conter, devido à força do meu orgasmo que fluiu na boca dele que o absorveu totalmente. Voltou a partilhar comigo o meu sabor e, deitando-se na cama, prolongamos esse beijo aromático, tendo eu contornado o seu corpo e subido para cima dele, dominando-o para lhe retribuir o prazer que me dera e cujos efeitos ainda sentia no tremor das minhas pernas e na face corada!

Apertei-lhe os mamilos suavemente, espevitando-os, para os lamber de seguida. Deslizei a língua esticada, olhando-o fixamente nos olhos, por toda a pele do peito, detendo-me à volta do umbigo, prolongando-lhe a ânsia de me sentir a boca concentrada no volume que se destacava debaixo dos boxers justinhos. Beijei-o por cima do tecido e procurei adiar o toque directo, o que o deixou louco, com os olhos a suplicarem que lhe tocasse e lhe desse prazer. Mas eu estava a adorar deixá-lo desesperado de desejo, pois, finalmente, quando a minha mão o apertou, ele pulsou forte para mim. Estava muito molhado com a cabecinha do pénis muito brilhante, convidando-me a lambê-la, o que eu fiz com muita vontade. Enquanto as minhas mãos lhe acariciavam as bolas inchadas, a minha boca deu-lhe um banho de língua, lambendo-o com muita vontade, apertando-o entre os meus lábios, chupando-o com força. Ele suspirava e gemia baixinho e eu senti que não aguentaria muito mais, tal o tesão contido.

Beijando-o, abraçamo-nos e vi como ele desejava sentir todo o meu corpo, pois deitou-se sobre mim, penetrando-me lentamente, matando a saudade que sentíamos. Durante longos minutos ficamos assim unidos, a saboreara o corpo um do outro, fundidos num só, num bambolear terno de prazer, que nos levou ao êxtase. Ele ainda se aguentou firme a sentir o meu corpo a reagir ao prazer que sentia e fez rodar os nossos corpos, tendo eu ficado por cima dele, momento em que, mal o comecei a cavalgar ainda ao sabor do meu próprio orgasmo, ele se veio com força dentro de mim, inundando-me por completo.

Ficamos assim abraçados sem descolar e eu constatei que, mesmo depois de se vir, o tesão não se tinha ido. Ele continuava duro como rocha, dentro de mim, toda molhada pelos nossos líquidos. Mantivemo-nos nesse abraço maravilhosos até que o senti palpitar propositadamente na minha ratinha. Olhei-o nos olhos e o seu sorriso safado disse-me tudo. A festa não tinha ainda acabado. Isso deixou-me radiante, claro!

Deixei-me cair para o lado e ele aconchegou-se contra as minhas costas, enfiando-se em mim rapidamente, tarefa facilitada pela imensidão dos molhos que me recheavam. Agarrou-me pelos ombros e penetrou-me fortemente, num vaivém frenético que me surpreendeu mas alegrou, vindo-se novamente com uma força tal que o deixou completamente esgotado. E a mim feliz.

Adormecemos assim, unidos, todos besuntados pelo nosso prazer, deliciados e com uma paz imensa. Na manhã seguinte acordamos muito tarde, com um sorriso fantástico que dura até agora.

Entretanto, muitos mais momentos houveram, mas este foi o início…

Miauuuu…………

 

30 comentários:

Mr_Golf disse...

That's real love. Congratulations. All the best. Mr.Golf

Gaija disse...

isso é q foi um reencontro e tanto...

beijosssss da gaija

Å®t_Øf_£övë disse...

Felina,
É tão bom quando toda essa quimica se mantém mesmo depois de casados e com filhos. Afinal não deve ser por esses factos que as coisas devem mudar, mas a verdade é que infelizmente muitas vezes isso acontece.
Bjs.

Pedro Gamboa disse...

Felina como escreves….
Mas ao mesmo tempo sei que é fácil, é só deixar sair o que vem de dentro…

Saudações.

Anónimo disse...

Valeu a pena a espera... A Vossa e a minha que confesso estava ansiosa por ler o Vosso reencontro e como sempre surpreendente, fantastico e tantas outra coisas.
Beijinho.
Fofinha

Encantamento disse...

Gosto de te ler , tens vida és magnifica.

beijo

Sahira disse...

Os reencontros são tão bons :)

Beijinhos

Passo disse...

so eu é q n tenho essa sorte a mnh zingarelha tb adormece qd anda de carro, so q azar dos azares assim q a tiro o raio da miuda acorda logo e dp p voltar a adormecer é uma carga de trabalhos :s

Anónimo disse...

opp

CruzdePau disse...

Adorei a estória do vosso reencontro, e agradeço pela força que me deu, para o meu blogg da treta (acho que estou a ganhar coragem para continuar...?)
Obrigado Felina.

Scarlett disse...

O meu reencontro será hoje!!!
Que ansiedae , que tesao...
Enfim, um turbilhão de sensações

LuisF disse...

É sempre bom o regresso,ao Lar,á Família,ao Amor.
Mágnifico querida Felina.
Que esse sorriso dura sempre,em todos voçês.
Bjinho para ti e abraço ao teu Felino.
LuisF.

tusabes disse...

a ausência...de kem gostamos...é muito dificil de suportar...quando assim é o nosso coraçao fica como um autêntico farrapo...mas depois...( ui )...o reencontro é fascinante...espero que o meu hoje tb o seja...vai ser!!!estou à tua espera...desesperada a contar os segundos para te reencontrar!!! Felina, a tua vida é fascinante...todas as pessoas deveriam ter assim uma vida...bombastica e muito feliz!

roseggata disse...

e lindo saber de um amor que so fortalece com o tempo...um pai amoroso com os filhos e amante insaciavel com a esposa...e a combinação de um bom casamento...
felicidades para voce, seu felino e seus pequerruchos...
beijosss...

Gerentes disse...

Só por isso vale a pena os momentos de aus~encia... que permirem depois desfrutar de um reencontro assim.
Beijos
Ana e Jorge

Viajante disse...

Bela descrição, só é pena que a linguagem utilizada não esteja à altura do acontecimento.

Anónimo disse...

Parabéns pelo regresso.

Pnet disse...

Faz amizades aqui ;-) www.portugalnet.pt

Heidi disse...

Oi!!!
Já fui de férias e já voltei...
Aparece... terei muito prazer na tua visita!...
Bjs de prazer
XXX

PS: Mmmmm, k delicia de reencontro!!!

Catwoman disse...

A espera é amarga mas o encontro é doce: é assim a vida, agridoce; mas quando o sentimento é honesto e sincero só nos lembramos do doce... O melhor é aproveitar o que a vida tem de bom!
Carpe Diem!

Casal Tropical disse...

bom isso e que tem sido matar saudades, nem tempo ha para mais um postzinho sobre o reencontro...

amalta percebe....

Bjs arranhados aos 2

João disse...

Oi
Adoro o teu blog.
Tá demais.
Olha eu gostaria de saber se você se importa se eu copiar alguma história que eu goste mais pro meu blog fazendo referência a você como autora é claro, e já agora se você me pode dizer onde arranja essas bonitas fotos do seu blog. Passe no meu e deixe lá a sua opinião pode ser???
Beijinhos

ninfa disse...

que post tão bonito :) só mostra que vocês têm tudo: amor, paixao, cumplicidade e uma familia linda!
gostei mt

ninfa disse...

q post tão bonito :) só serve para mostrar que vcs têm tudo: amor, paixao, cumplicidade e uma familia linda.
Gostei muito

Jovem Senhor disse...

Olá ao casal mais felino dos blogger... vim ler e tb. desejar uma ótima semana ao casal... bjkas & abraços

cheiodetesao disse...

Então e mesmo com esse natural alvoroço pela chegada do pai, os miúdos chegaram ao carro e (convenientemente) adormeceram?!

Hum...

Anónimo disse...

por acaso já pensás-te em adicionar mais um homem aos teus luxuriosos momentos de prazer? qual seria a reacção do teu felino? achas que ele também iria gostar? quais são as tuas fantasias?

Anónimo disse...

Será que ainda........ confesso que estou com fome dos teus textos diabólicos, intesantes ( sim é mesmo intesantes de tesão e não interessantes , saudades das tuas descrições em que por vezes me revejo do lado oposto, ou seja com uma Felina destas eu seria um felinão......

Luís disse...

Ó minha Comadre!
Atão isto não ata nem desata?
Já parece as azeiteiras que deixei ali para trás dizendo mal umas das outras.
Oxpouz os alentejanos é que são parados e paradinhos, pois atão Isso aí é a passo de caracoli em perseguição ao chaparro mais perto.
Ehehehehehe...
Tamos atão no reeecontro...pois...
Bjinhus,

G bloG disse...

Felina, Goza à vontade e eu que veja!!!
Este "O Meu Ponto G" tem andado parado, ou melhor, não tem tido movimento desde há uma semana e tal.
Com o reGresso do Felino deve ser cá uma festa... relata! com todos os pormenores ou PORMAIORES!!!